Crítica Musical: Bon Jovi lança "*2020*" com letras focadas na 'consciência social'

Manter 'praticamente' a mesma formação desde 1983, (tirando o baixista Alec John Such e Ricthie Sambora que volta em breve), e ainda fazer hits e lotar shows, é uma missão que o 'Bon Jovi' vem tirando de letra. Prova disso está em "Bon Jovi - *2020*", trabalho que chega com 'profundidade de composição' dentro de um ano eleitoral desafiador. Feito no estúdio de 'Jon Bon Jovi', o trabalho mostra a garra do grupo, que mesmo com tanto tempo de carreira, não deixou a peteca cair. Como disse Jon: "É um registro histórico". Vale a pena escutar. Fotos: BJ

Crítica: Há quase 30 anos Michael Jackson reinava nas paradas musicais com o álbum ‘‘Dangerous’’

Há quase 30 anos Michael Jackson reinava nas paradas musicais com o álbum ‘‘Dangerous’’; trabalho vendeu mais de 50 milhões de cópias; “Heal the World” e “Black or White’’ são alguns hits. No final dos anos de 1980, o cantor Michael Jackson era um dos nomes mais fortes na música com "Thriller (1982)" e "Bad (1987)". Mesmo com tanto sucesso, provar que seu som "ainda' poderia fazer a diferença nos anos de 1990, era o grande desafio, mas com "Dangerous (1991)", ele conseguiu! O álbum vendeu mais de 50 milhões de cópias trazendo influências da R&B / Rock e um toque de Tchaikovsky. O disco mostra pela capa que faria história.

Critica: Adriana Calcanhotto lança "Só", álbum que reforça o estilo único de sua poesia

Se para algumas pessoas a quarentena tem-se tornado um momento de desânimo, para outras ela tem sido uma oportunidade de se dedicar ao que se ama, como é o caso da cantora Adriana Calcanhotto. Em praticamente dois meses, ela deu vida a seu novo disco intitulado por "Só (2020)", trabalho que  sucede o álbum "Margem (2019)" e que já na primeira audição, mostra a visão da artista sobre o momento atual. O trabalho de "quarentena" foi o mais rápido de sua carreira, mas primoroso nas letras e ainda melhor que seu último CD. Seu 13° disco de carreira traz nove canções inéditas tendo todos os direitos autorais destinados a instituições de caridade.

Lançamento de E-book: entrevista para o "BM Entrevista

Olá amigos 😀 Confiram a entrevista super bacana que cedi para o "BM Entrevista (Canal Belezas de Minas)", ao qual falo do lançamento do meu primeiro "E-book". Nesse primeiro livro (formato digital), trago "30 artigos" que escrevi como "Sociólogo" para as editorias de "Opinião/Comportamento" e que foram publicados na imprensa: Portal RedeTV | Jornal Divulga Gerais | Por Dentro de Minas-Portal Terra | Jornal Minas de Fato e Jornal Tribuna do Sul de Minas, durante os anos de 2017/2019. Pelo link: https://youtu.be/FOBYMYaqB9g Compartilhem 😉

Simply Red lança “Blue Eyed Soul”: álbum sela os 34 anos de carreira do grupo

Nos anos de 1980 a música mundial revelou grandes nomes, como, U2, Simple Minds, The Cure, REM e o destacável Simply Red. No entanto, poucos grupos daquela época conseguiram se manter nas paradas musicais e o “Simply Red” é um bom exemplo de persistência e de paixão na música. O grupo que completou 34 anos de carreira é um dos poucos que ainda conseguem manter viva a mesma essência musical do início da carreira e “Blue Eyed Soul (2019)”, seu novo trabalho, é a maior prova de que quando uma banda leva a sério o ofício, os resultados são sempre surpreendentes. O 12º trabalho do grupo, mostra que o vocalista “Mick Hucknall” e os demais integrantes homenageiam o "Funk" muito bem.

Sam Fender traz toda a essência musical dos anos de 1980 em “Hypersonic Missiles” seu primeiro álbum

A primeira impressão que tive ao escutar os primeiros acordes da música “The Borders”, era de que estava ouvindo um álbum do ano de 1985, 1986, 1987, 1988 ou 1989, no entanto, a sonoridade era do primeiro trabalho de “Sam Fender”, um dos grandes talentos da nova safra musical vindo de Newcastle upon Tyne, Inglaterra. O cantor de apenas 23 anos de idade, mas com uma bagagem musical de extrema qualidade, traz em “Hypersonic Missiles (2019)” uma mescla de sons próximos do que já vimos no grupo, “The Smiths”, "The Cure" e "Simple Minds". Leia: http://culturalizabh.com.br/index.php/2019/10/10/sam-fender-traz-toda-a-essencia-musical-dos-anos-de-1980-em-hypersonic-missiles-seu-primeiro-album/

Na medida certa: "Imagine Dragons" traz som impactante em "Origins" novo álbum

"Acho as músicas fortes, pois sempre penso na vida com as letras! Eles me fazem arrepiar, sabe como é?" Com a mesma intensidade que minha amiga Kiki Santoro falou sobre o "Imagine Dragons", percebi que o grupo, com pouco mais de seis anos de carreira, vem conseguindo se manter nas paradas com muito profissionalismo. "Origins (2018)" é a maior prova de que é possível fazer Rock com Hip Hop e Eletrónico que agradam até quem conhece pouco o grupo. Após o lançamento, o disco teve 97% de aprovação dos usuários do Google e segue liderando os downloads nas plataformas digitais. Neste trabalho, "Dan Reynolds", vocalista da banda volta melhor ainda. Foto: Imagine Dragons.

Roxette: “Joyride” completa 28 anos mostrando o que é pop rock de verdade

O início dos anos de 1990 foi marcante para muitas bandas de Pop Rock e não seria diferente para o Roxette. Após o lançamento dos álbuns “Pearls Of Passion (1986)” e “Look Sharp! (1988)”, que não fizeram tanto barulho, mas venderam bem, eles deram uma pausa e retomaram a carreira com “Joyride (1991)”, um dos álbuns mais expressivos do grupo. O disco foi praticamente o responsável por selar de vez o nome do Roxette e do “duo”, Marie Fredriksson e Per Gessle na música mundial. Prova disso, foi que o disco vendeu mais de 11 milhões de cópias fazendo o grupo se tornar um dos mais famosos no estilo Rock Pop/Romântico. O sucesso foi tanto que a banda excursionou pelo Brasil. Fotos: Roxette.

Confirmado: Festeja Belo Horizonte será realizado dentro do Mineirão 

Um dos maiores eventos de música do país já tem data, horário e, o melhor, local para acontecer na capital mineira. No dia 7 de setembro, sábado, a partir das 15h, o Festeja Belo Horizonte será realizado no Estádio do Mineirão (Av. Antônio Abrahão Caram, 1001 - São José), com os maiores nomes da música nacional, como, Marília Mendonça, Zé Neto & Cristiano, Maiara & Maraísa, Wesley Safadão, Léo Santana, Dilsinho e Diego & Victor Hugo. O evento itinerante, que bateu recordes de público nas edições anteriores em BH, é realizado pelas empresas Workshow, Som Livre, Nenety Eventos e Empresário João Wellington. Criado em 2012, pela Som Livre, o Festeja vem reunindo anualmente milhares de pessoas.

Avril Lavigne mostra em “Head Above Water” que as dores podem se tornar excelentes inspirações

A voz continua limpa e afinada, no entanto, “Head Above Water (2019)” novo álbum de Avril Lavigne se distancia bastante dos seus primeiros trabalhos lançados na primeira década dos anos 2000. Com uma certa melancolia, mas maturidade aquém, a cantora volta ao cenário musical depois de quase seis anos dando a certeza de que se existe um remédio para curar certas dores, ele se chama música! Retratando exatamente o seu ‘desafogamento’ dos problemas pessoais, como a luta contra a doença de Lyme e o divórcio, a cantora que está com 34 anos traz 12 novas ótimas composições em “Head About Water”, ou como diz o próprio nome do novo álbum: “Cabeça Acima da Água”.

Biquini Cavadão faz justa homenagem para Herbert Vianna no álbum "Ilustre Guerreiro"

Quando o Biquini Cavadão lançou o álbum "O Rio Sempre Beija o Mar (2016)", tive a leve impressão de que o grupo poderia estar se despedindo dos estúdios para viver como muitas bandas que já não gravam mais e apenas vivem de antigos sucessos. No entanto, minha suposição não se tornou uma constatação e para a alegria dos fãs mais assíduos do grupo, Bruno Gouveia (vocalista) e sua trupe, gravaram o seu mais novo disco, "Ilustre Guerreiro (2018)". O álbum é uma justa e muito bem feita homenagem a "Herbert Vianna", vocalista e compositor do Paralamas do Sucesso, um dos grupos percusores do "Pop Rock" no Brasil. Além disso, ele foi o responsável por sugerir o nome "Biquini Cavadão".