Celebração do Inti Raymi

Como o início da programação das festividades do Inti Raymi, a cerimónia ritual e o lançamento desta celebração ancestral foi realizada em homenagem à "Pacha Mama", no Inka Huasi localizado na paróquia Caranqui (Ibarra - Ecuador) e organizado pelo povo Karanki. Na celebração foi possível visualizar as formas de expressão cultural como a dança, a gastronomia, suas roupas. A cerimónia ritual foi realizada no templo sagrado do Inka Huasi e contou com a presença do grupo de dança Inti Huayra.

Há seis portuguesas a concorrer às eleições na Bélgica
Há seis portuguesas a concorrer às eleições na Bélgica

Há seis portuguesas na corrida às eleições autárquicas na Bélgica. A notícia é do jornal Bom Dia Europa e refere ainda que até ao momento "não há nenhum candidato homem no seio da comunidade lusa" a concorrer. As candidatas são Estela Soraia Costa, Sílvia Paradela Gonçalves, Inês Pinto, Joana Benzinho, Maria Malheiro Galão e Yasmine Rodrigues Morais e as eleições autárquicas belgas estão agendadas para 14 de outubro. Até final de julho, acrescenta o mesmo jornal, os portugueses residentes na Bélgica ainda se podem recensear.

Roma por mais um dia

Escolhemos finalmente um destino que não praia, mas igualmente mágico. Fomos até Roma. Delineámos o itinerário durante o voo e, no primeiro dia, apanhámos o autobus até ao Coliseu e ao Vaticano. A confusão era tanta que não entrámos, em nenhum. Fãs incondicionais de zoo, o de Roma não escapou à visita. Decidimos ir a pé até lá, o que nos valeu uma aula de fitness ao ar livre. Reservámos o terceiro dia para uma visita ao centro, que nos apaixonou. Ainda nesse dia recebemos uma mensagem, da TAP, a dizer que o nosso voo tinha sido cancelado. Apesar do transtorno, resta-nos agradecer porque ficámos mais um dia, entrámos no Coliseu, no Fórum Romano e comemos, ainda mais, pizza.

Angola tem uanga!

Aterrei em Angola há 4 anos. Estranhei a envolvente do aeroporto, o calor húmido, a oferta de serviços informais. E quando me fazia à estrada até casa, eis que me deparo com um extenso parque de estacionamento. Fui avisada de que o trânsito era duro, mas não imaginei que pudesse ser assim! A adaptação foi fácil. Conheci pessoas fantásticas, lugares paradisíacos, ultrapassei desafios e fiz trabalhos espectaculares! Nesta terra do muito, onde nos fartamos de trabalhar, ganhamos pouco e somos felizes, já vivi histórias inacreditáveis que dariam um filme. E todos os dias tenho histórias novas para contar! Paixão por Angola, a mesma paixão desde o primeiro dia! Angola tem uanga (feitiço)!

Sabem o que é o up-cycling e o down-cycling?

Usamos recorrentemente o termo "reciclagem" mas nem tudo o que se reciclar mantém o valor. Em vez de reciclar (recycling) deveríamos tentar um “melhorciclar” (up-cycling), que no fundo seria aumentar o valor tendo em conta a origem dos resíduos que contribuíram para constituir o novo produto. Acabei de inventar o termo, porque em português não parece haver uma designação tão boa como a terminologia inglesa. Por outro lado, há que tentar evitar o “piorciclar” (down-cycling), que consiste em gerar produtos de valor inferior. Para saber mais: https://abuscapelasabedoria.blogspot.com/2018/06/reciclar-para-manter-o-valor-versus-o.html?m=0

Sian ka’an e a viagem incrível

De férias no México, decidimos fazer um passeio turístico e partimos até Tulum, uma cidade cheia de vida. Lá, conhecemos o Fredy, o guia americano que “arranhava” o nosso português. Sete pessoas, um jipe e muita expectativa na bagagem. A primeira paragem foi a meio caminho, para vermos crocodilos. Continuámos e chegámos até uma praia onde apanhámos lanchas rápidas para vermos golfinhos e tartarugas (depois de uma viagem de três horas a bexiga já apertava, mas wc só mesmo nos arbustos). Embarcámos e conseguimos, depois de muita procura, encontrar estes animais, chegando a uma piscina natural, no meio do mar das Caraíbas. Muitas horas de viagem passaram mas as imagens de Sian ka’an, a reserva da biosfera, ficarão para sempre na nossa memória.

Um cantinho com muito "charme"

Fica situada na Achada de Santo António, Praia, com um toque de modernidade, ao mesmo tempo vintage. A Mercearia Andrade permite-nos viajar no tempo e recordar os espaços que fizeram parte das vivências dos nossos pais ou avós, aqui sente-se a cultura de um povo através da degustação dos “sabores de Cabo Verde”. Podemos apreciar os produtos típicos, de todas as ilhas, entre os quais se destacam: o afamado vinho branco da Ilha do Fogo, aguardentes de Santo Antão, fruta de Santiago, compotas, doces típicos. Tendo sempre como música de fundo os grandes vultos da música Cabo Verdiana das quais se destaca a grande diva Cesária Évora com o eterno tema “Sodade Sodade”, e que nos traz a memória o nosso fado relembrando-nos no nosso percurso em comum enquanto países irmãos.

Agostinho, o nosso homem da Volta a França

Com o Tour de France à porta é impossível não me lembrar da bicicleta. E não sentir saudades da minha Giant. Em 2011, voltei a França para participar na Ardéchoise (um encontro de cicloturistas) e, dessa vez, subir também o Alpe d’Huez. São 14 km de muito sofrimento, logo no início com mais de 10% de inclinação. E são 21 curvas que nos deixam sem pernas, sem pulmões, quase sem sentidos. Numa infindável contagem decrescente, lá chegamos à 17ª curva onde está o nome de Joaquim Agostinho, mal escrito, infelizmente. Em 1979, o ciclista português venceu ali a etapa do Tour. Era uma força da natureza. Faltava-lhe a técnica e, por se ter iniciado tarde na modalidade, era conhecido como “emigrante da bicicleta”. Isso, porém, não o impediu de vencer.

De boogie para o mundo real

Foi a primeira vez que viajei até à República Dominicana e confesso que estava muito entusiasmada, era um destino que há muito queria visitar. Num dos dias optámos por sair do hotel e fazer uma viagem até Bávaro, de boogies, onde passámos por praias e até fomos visitar grutas, de água gelada, mas de uma beleza incrível. No entanto, no meio de toda esta aventura, das praias paradisíacas, das grutas, entre outros, aquilo que mais me fascinou foram as crianças locais, de tenra idade, que se encontravam nos troços dos caminhos, com a mão no ar, à espera de um “high five” que lhes fazia claramente o dia. O sorriso delas sim foi impagável (é pena é que não existam registos desse momento).

Portuguesa ocupa cargo de topo na UNICEF
Portuguesa ocupa cargo de topo na UNICEF

Chama-se Catarina de Albuquerque, tem 48 anos, e será, a partir de 3 de setembro, a nova diretora-executiva (CEO) da estrutura ‘Saneamento e Água para Todos ‘ [‘Sanitation and Water for All (SWA)’], da UNICEF. O processo de seleção durou cerca de cinco meses e a jurista portuguesa ultrapassou os outros 199 candidatos ao cargo. É a primeira presidente-executiva do organismo, o lugar mais alto ocupado por um português, na atualidade. Catarina Albuquerque era diretora-executiva da SWA desde 2015 e muda-se agora para os Estados Unidos da América. “Estou honrada por ter sido selecionada para liderar esta parceria multifacetada e entusiasmante", disse, no comunicado, divulgado pela SWA.

Gente do mundo

Conheci os meus melhores amigos aqui nos desportos de aventura. Chama-se Ebrahim, mas toda a gente o trata por Eby, tem 32 anos, é emirati e trabalha para o governo em qualquer coisa importante de que nunca fala. Apaixonado pelos desportos de aventura, tive o privilégio de o ter como guia nalgumas atividades por aqui, como canyoning, acampamentos no deserto e muito montanhismo. É montanhista certificado (fez a formação no Alaska). É de uma boa disposição contagiante e está sempre pronto a encorajar os outros a lutar contra os seus medos e não conhecer limites. Casou, num casamento arranjado e divorciou-se. Explicou-me um dia: a minha mulher deu-me a escolher entre o jeep e ela...

Taprobana

Quando fui dar aulas para Londres, conheci pessoas com o meu sobrenome do Sri Lanka e da Malásia. Fiquei muito surpreendida. Depois de tantos séculos, ainda vivemos nessas terras longínguas. Vivem os edifícios que edificámos, as memórias históricas e linguísticas. Visitei o Sri Lanka, a Taprobana de Camões. Uma ilha linda, verde de gente afável e pacífica e comida picante. Fui da capital, Colombo, de comboio até Kandy. Visitei variados templos, na ilha coexistem várias religiões. Desce depois até Galle, no sul, onde existe ainda o forte construído por nós e ampliado pelos holandeses. Imagino os olhares maravilhados dos nossos marinheiros ao aportarem nestas paragens paradisíacas.

Campanha de Vacinação Nacional de Imunização Sarampo, rubéola e poliomielite

Nos diversos distritos de Timor-Leste iniciou-se uma Campanha de Imunização contra o sarampo, rubéola e poliomielite. Esta decorre entre o dia 2 e 14 de julho e destina-se a todas as crianças nascidas em 2013. Este programa contribui para uma grande mudança na saúde das crianças timorenses e é um passo importante no futuro desta nação. No distrito de Liquiçá, o lançamento da campanha foi na escola CAFE. Os professores dessa escola ficaram orgulhosos por poder fazer parte deste momento.

Feira Antiga no Souto da Carpalhosa

Decorreu este fim de semana mais uma recriação histórica da feira à moda antiga. Centenas de figurantes oriundos das diversas associações culturais da freguesia deram a conhecer a miúdos e graúdos os sabores, tradições, os divertimentos, usos e costumes da época do antigamente. Uma experiência a repetir.

Regata no Rio Lis

Aconteceu este domingo, organizada pela Associação das Várzeas a quarta regata no Rio Lis. Cerca de 12 jangadas fizeram um passeio belo pelo Rio Lis, observadas por centenas de pessoas que, nas margens, viram as "piruetas" dos participantes. O objectivo foi promover a criatividade e sobretudo o divertimento.

Tasquinhas Monte Real

Este fim de semana decorreu no Jardim Olímpio Alves, em Monte Real, o certame anual das tasquinhas. Foram centenas de visitantes que saborearam os diversos petiscos servidos pelas associações. A destacar ainda, o Centro Social e Infantil que abriu as portas à comunidade e as Irmãs Clarissas que apresentaram os seus licores conventuais. Valeu a pena.

Tribo Mumuila capta o olhar de estrangeiros

Quem vai ao Lubango, província da Huíla, pela primeira vez não fica indiferente às “Mumuilas”. São mulheres pertencentes à tribo Mumuila, oriunda daquela província, que usam colares de missangas e pulseiras, andam com os seios destapados e colocam no cabelo uma pasta feita de sementes, estrume de vaca e gordura do leite. Segundo explicam, para ter “cabelo bonito” e evitar os piolhos, já que não lavam a cabeça. Comunicam entre si num idioma próprio e a sua principal atividade é a criação de gado. As Mumuilas chamam a atenção de turistas e visitantes mas não se deixam fotografar. Se tiver algo para oferecer em troca, principalmente dinheiro, elas irão seguramente fazer as melhores poses.

Este fim de semana há tasquinhas em Monte Real

A Junta de Freguesia de Monte Real organiza este fim de semana em parceria com as associações e clubes da freguesia, as suas tasquinhas. Vão ser três dias de muita festa, muitos sabores e muita cor. Neste fim de semana de S. Pedro não podia faltar a celebração dos Santos Populares e o aniversário da vila, no dia 1 de julho.